Um post sobre Tequila! Feito pelo primeiro escritor/blogueiro/twitteiro convidado do saladas e derivados, o Malkie!

Tequila

Vamos falar de Tequila: Mitos e Histórias

Primeiro grande mito: o verme…

O verme não é tradicional da tequila e sim do mezcal, que é uma bebida feita de uma espécie diferente de agave (planta da qual se faz a tequila, que neste caso é o agave azul). O agave é o alimento de uma larva e por acidente acabou indo parar dentro de uma ou outra garrafa na produção de mezcal. A história de que o verme tira o enjôo ou a bebedeira, obviamente é só mito criado para vender mais bebida. Como a história pegou, algumas tequilas passaram a colocar o verme na garrafa intencionalmente (ele é fervido e é considerado seguro para consumo), mas pode ter certeza que nenhuma tequila decente vai vir com essa porcaria marqueteira.

Segundo grande mito: ouro é melhor do que prata

São duas, as características que diferenciam a qualidade de uma tequila: a proporção de agave utilizado na fermentação contra outros açúcares; e a quantidade de tempo em que a tequila ficou repousando (nisto entram outras condições, como a madeira do tonel, por exemplo).

As tequilas que utilizam somente açúcar extraído do agave durante a destilação, são as tequilas puras. Toda tequila é obrigada a ter no mínimo 50% de açúcar de agave, para ser considerada tequila (o governo do México faz um controle fortíssimo na qualidade da bebida, que é o orgulho nacional mexicano)

Geralmente, misturam-se outros açúcares mais baratos, já que um agave leva pelo menos 10-12 anos para chegar no ponto ideal para colheita. Com isto, altera-se o gosto da tequila. As tequilas mais baratas (como a Jose Cuervo que temos aqui) são 50% agave. Os outros 50% são os açúcares baratos, que são geralmente açúcares compostos e de digestão mais lenta, e por isso os responsáveis pelo “passar mal” após uma tequilada.

O outro fator, é o tempo de envelhecimento. Conforme a tequila repousa, ela vai adquirindo um tom amarelado-dourado.
A tequila Prata, é engarrafada logo apos a destilagem, ou repousa por ate dois meses. É a que tem o gosto de álcool e de agave mais fortes. Uma boa prata, 100% agave é um coice forte, mas com um ótimo sabor 🙂

A tequila ouro é a prata misturada com tequilas envelhecidas, ou as vezes apenas adicionada caramelo, ou algum corante para dar o tom dourado, ou um pouco dos dois (e lá vem nossa cuervo vagabunda de novo).

Depois da ouro, existem mais 3 classificações de tequila de acordo com a idade, e é aqui que a coisa começa a ficar interessante de verdade:
– Reposado: a tequila descansa de 2 a 12 meses, geralmente em barris de carvalho
– Anejo: a tequila descansa de 1 a 3 anos, em barris de carvalho
– Extra Anejo: descansa no mínimo 3 anos.

Conforme a tequila descansa, ela começa a pegar o sabor da madeira (e a gerar uma quantidade maior de METANOL, SIM, O TOXICO METANOL). Uma tequila Anejo não deve ser bebida num shot adolescente, mas deve ser saboreada com uma pedra de gelo, como um bom whisky.

O importante é que uma tequila extra anejo, não precisa necessariamente ser uma tequila mais saborosa do que uma prata. Existem excelentes platas, oros, reposadas, anejos e extra anejos, e o que manda ai é o gosto do bebum.

Por último: Hacienda é mais uma produtora de tequila, e não uma categoria dela. É uma tequila melhor que a Cuervo, e também é uma das mais tradicionais produtoras no México. Vale lembrar que a Cuervo é uma das primeiras produtoras e também possui ótimas tequilas, mas não estas que temos aqui.

Existe uma série limitada da Cuervo, que chama Reserva de la familia. Produção limitada, sempre com uma arte diferente na garrafa e caixa, é produzida uma vez por ano com a melhor seleção de agaves da família Cuervo.

Leu até aqui e ficou com vontade de tomar uma tequila? Clique aqui e compre uma no submarino!